Subscribe:

segunda-feira, 24 de maio de 2010

INICIO DA CCB EM SÃO PAULO

Início da Congregação Cristã em São Paulo

Louis Francescon, missionário italiano, oriundo do movimento de avivamento pentecostal nos Estados Unidos, chega ao Brasil em março de 1910. Em Chicago, recebera a missão, através de revelações espirituais e profecia do pastor W. Durhan, para levar a mensagem do avivamento às comunidades italianas no mundo.


Em 1909, junto com Giácomo Lombardi e Lucia Menna embarcam para a Argentina, para evangelizar um parente de Lucia Menna. Após deixarem alguns convertidos e batizados na Argentina, Louis Francescon e G.Lombardi chegam à São Paulo em 8 de março de 1910.

São Paulo chegou a ser chamada cidade italiana, tal a grande quantidade de italianos que aqui chegaram, para substituir a mão de obra escrava. Era na estação da Luz que chegavam os italianos desembarcados no porto de Santos.

Após alguns dias, G. Lombardi parte de volta para a Argentina e Louis Francescon viaja para o Paraná, para evangelizar a família de Vicenzo Pievani, italiano que conhecera na estação da Luz em São Paulo.

Em Santo Antonio da Platina, no Paraná, foram batizados 11 pessoas, incluindo Vicenzo Pievani e Felício Mascaro. São os primeiros crentes da igreja que daria origem a atual Congregação Cristã no Brasil.


CCB em São Paulo

O início da CCB em São Paulo tem relação com a Igreja Presbiteriana do Brás formada basicamente por italianos. A missão de Louis Francescon era dirigida aos italianos, e o grande número de imigrantes na capital, inclusive, da terra natal de Louis Francescon, são os destinatários da sua pregação.

Enquanto no Paraná, Louis Francescon pregou para ateus e católicos, aqui em são Paulo, a mensagem pentecostal encontra acolhida, principalmente, nos membros da igreja Presbiteriana, evangelizados na doutrina reformada.

Na doutrina reformada, ou protestante clássica, valoriza-se muito a pregação focada na Bíblia, e não em elementos emocionais como era a mensagem pentecostal que Louis Francescon trazia dos EUA. As Escrituras bastavam, e para tanto, pastores como Modesto Carvalhosa eram bem preparados para pregá-la. Não havia necessidade de revelações e outras manifestações espirituais.

Dede 1902 já ocorria um movimento de avivamento pentecostal no Chile e é possível que presbiterianos, metodistas e epicospais já tivessem ouvido falar do movimento espiritual que estava iniciando no mundo, com ênfase nos dons de línguas.

Igreja Presbiteriana em São Paulo

A igreja Presbiteriana está presente no Brasil desde 1859, fruto de evangelistas americanos. No ano de 1865 é fundada a 1ª igreja Presbiteriana em São Paulo.
A 2ª Igreja Presbiteriana surge em 1893 e em 1899, a Igreja Presbiteriana Filadelfia. Em agosto do ano 1900 fundem-se as duas igrejas, representadas respectivamente por seus pastores Revs. Modesto Perestrello de Barros Carvalhosa e José Zacharias de Miranda e Silva, surgindo a Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo. O pregador da solene cerimônia, foi o Rev.Zacharias, cuja conclusão foi celebrizada pela frase: O que Deus ajuntou, não o separe o homem! . A nova Igreja, tinha cento e dezesseis membros.

Desta IP Unida nascem, em 1900, a Igreja Presbiteriana de Juquiá, e em 1902, a chamada Igreja Italiana, isto é, a Igreja Presbiteriana do Brás. Em 1903, mais uma filha, a Igreja Presbiteriana de Atibaia.

É na Igreja Presbiteriana do Brás, composta de italianos, que Louis Francescon irá pregar em 1910, provocando um cisma. Algumas pessoas aceitam a mensagem pentecostal, outras não.

Modesto Carvalhosa
Merece destaque a pessoa do pastor Modesto P. de Barros Carvalhosa. Português de nascimento, foi um dos quatro primeiros alunos formado pelo “Seminário primitivo”, primeira escola teológica fundada pelo missionário americano Simonton. Esta escola formou os quatro primeiros pastores presbiterianos brasileiros. Carvalhosa formou-se em 1971, e é considerado um dos esteios do presbiterianismo no Brasil.

Quando da chegada de Louis Francescon à São Paulo, Modesto Carvalhosa tinha 40 anos de ministério na IP. Havia pastoreado várias igrejas, ocupado cargos importantes na IPB. Além do conhecimento teológico, era perito em contabilidade, dirigindo o Curso Superior de Comércio do Colégio Makenzie em 1893.

Modesto Carvalhosa faleceu em 1917 e foi sepultado no cemitério protestante em São Paulo, ao lado do cemitério da Consolação, tendo seu nome inscrito no rol dos heróis pioneiros presbiterianos no Brasil. Ele é considerado um dos quatro esteios do presbiterianismo no Brasil.


RELATO DA OBRA DE DEUS NO SEU INÍCIO EM SÃO PAULO, RELATADO PELO FILHO GERMILIO PAVAN DO ANCIÃO FELIPE PAVAN A PEDIDO DA FAMÍLIA SPINA (FRANCISCO SPINA) – NO ANO DE 1970


Em 1910 na Rua Alfandiga nº 64 antigo nº 4 havia na época uma Igreja Presbiteriana e quem o dirigia era o Pastor CARVALHOSA e congregava no meio deste povo o irmão ERNESTO que morava na Rua Piratininga, num curtiso e na frente desta casa tinha um salão de Barbeiro e indo ali o Irmão LUIS FRANSCISCONI perguntou para este barbeiro se morava algum crente por ali, ai ele ficou conhecendo o irmão ERNESTO e levou o irmão LUIS FRANCISCONI na casa do Irmão FELIPE PAVAN como era a tarde só encontrou a sua esposa Irmã Angela e o seu filho GERMILIO PAVAN e o JOÃO FINOTTI que tinha na época 12 anos e o Senhor deu de o Irmão LUIS FRANCISCONI falar das coisas de DEUS e ela pediu para voltar a noite para também falar para o seu esposo estas boas novas de Salvação, o irmão LUIS FRANCISCONI voltou a noite, isto se deu em 25 de junho de 1910 e DEUS abriu o coração do irmão FELIPE PAVAN sendo ele Presbítero da Igreja deu toda a Liberdade para Presidir e falar ao povo as boas novas de Salvação, nesse tempo o Irmão FELIPE PAVAN trabalhava na Serraria UNIÃO no Campos Eliseus, depois de uma semana por causa do Pastor CARVALHOSA o Irmão FELIPE PAVAN não deu mais liberdade no culto para o Irmão LUIS FRANCISCONI então DEUS abriu o coração dos tios do Irmão FINOTTI (SANTO PONTALTI e ISABELA) abrindo a sua casa para o Irmão LUIS FRANCISCONI fazer culto ali. Mas acontece que de madrugada DEUS deu uma Revelação para o Irmão FELIPE PAVAN que um anjo apareceu dizendo a ele que o Irmão LUIS FRANSCISCONI era um servo de DEUS que mandou no Brasil e no meio deles para ser esclarecida toda a Verdade de DEUS e então logo no outro dia foi procurar o Irmão LUIS FRANCISCONI e pedir perdão para ele porque ele tinha sido seduzido pelo pastor CARVALHOSA.

Felipe Pavan
Então a Igreja Presbiteriana ficou sabendo do ocorrido e levou todos os bancos e o órgão da igreja embora, ficando o salão vazio, mas como o Irmão FELIPE PAVAN trabalhava na Serraria trouxe as madeiras e fizeram os bancos sem encosto. E começou os cultos ali três vezes por semana e os outros dias nas casas dos irmãos.

No Domingo a tarde faziam o culto na Praça Antônio Prado ou Jardim da Luz e na Água Branca (perto da Vidraria) e Lapa.

Na Água Branca é que ficaram conhecendo as Famílias MAZZEI, PERUCHI E PIRO.

Passados mais ou menos 2 meses que estavam congregando houve ao primeiro BATISMO que foi feito na PONTE GRANDE no rio pelo Irmão LUIS FRANCISCONI onde obedeceram o FELIPE PAVAN E SUA ESPOSA ANGELA BRAGA PAVAN E SEUS FILHOS GERMILIO PAVAN E PAULO PAVAN, ERNESTO, ESTERINA FINOTTI E SEU FILHO JOÃO FINOTTI E OS SEUS TIOS SANTO PONTALTI E ISABELA PONTALTI.

Logo depois de alguns dias foram ungidos para o ministério de ANCIÃO os Irmãos FELIPE PAVAN E ERNESTO então depois de mais alguns dias o Irmão LUIS FRANCISCONI foi de navio embora para os EE.UU ficando no BRASIL na primeira vez mais ou menos três meses.

Passando um pouco de tempo que estavam congregando, satanás querendo dividir a OBRA DE DEUS começou a entrar com Profecias falsas e dividiu o povo e os servos.

Um grupo congregava com o Irmão ERNESTO e o outro grupo com o Irmão FELIPE PAVAN, mas DEUS mandou dos EE.UU o Irmão AGUSTINHO LANCHONE que ficou hospedado na casa do Irmão FELIPE PAVAN por mais ou menos seis meses e DEUS usando do seu servo uniu o Povo e os servos e houve reconciliação com todos e a OBRA DE DEUS ficou em Paz e Satanás ficou envergonhado. O Irmão AGUSTINHO com a madeira que o Irmão FELIPE PAVAN trazia da Serraria fazia gaiola para arrumar dinheiro para congregar. Isto em 1911 mais ou menos foi também ungido para o Ministério de Ancião o Irmão GENARIO OU GENUARIO.

O segundo Batismo foi feito num rio perto da vidraria Santa Marina Água Branca pelo Irmão GENÁRIO Batizou os Irmãos ANTONIO MAZZEI, E A ESPOSA MARIA FRANCISCA FÁZIA MAZZEI E OS SEUS FILHOS FRANCISCO MAZZEI E GENARINO MAZZEI o pessoal da vidraria quando estavam fazendo o Batismo queria atirar pedras nos irmãos e no meio destes tinha muitos franceses e DEUS tomou a boca do Irmão GENÁRIO e falou DEUS com eles em FRANCES dizendo que se eles atirassem pedra nos irmãos DEUS mandaria fogo do Céu e entrou neles um grande medo e depois que terminou o batismo vieram falar com o Irmão GENÁRIO e perguntaram se ele sabia falar em Francês e ele falou que não e nem sabia o que tinha saído da sua boca.

O Irmão FELIPE PAVAN e toda a sua família foram despejados da casa da Rua Alfandiga nº 64 mais ou menos em fevereiro ou março de 1915, ele tinha comprado a casa junto com o seu irmão carnal MATEUS BATISTA PAVAN e este não sendo crente fez assinar diversos papeis e vendeu a casa e sumiu que até hoje nunca se teve notícias dele e nem se sabe para quem vendeu, quem abrigou o Irmão FELIPE PAVAN com a sua família foi o Irmão CAETANO D´ANGELO por uns 15 dias e a congregação na Rua Anhaia esquina da Rua Tenente Pena n.º

Depois DEUS preparou de ir morar na casa do IRMÃO SPINA indo com toda a sua família e a Congregação na Rua da Graça n.º

Ficando a OBRA DE DEUS NA RUA DA GRAÇA depois mudou se o Irmão FELIPE PAVAN, para a Rua Tenente Pena n.º (não sabemos) onde ali DEUS se compraseu e o RECOLHER.

Trabalhava ele na Serraria UNIÃO no Campos Elisios em frente a igreja do Coração de Jesus, uma taboa escapou da serra e bateu em seu estômago com essa batida não podia se alimentar e depois de dois meses DEUS O RECOLHEU marcando para ele a hora e o dia em que DEUS o viria buscar.

Foi entre 12:00 a 13:00 horas do dia 5 de julho de 1918 e isto tudo se cumpriu como DEUS o tinha mostrado.

Num dia em que o Irmão Felipe junto com o Irmão Cooperador GEREMIAS foram congregar na V. Prudente na volta um grupo de pessoas pararam o bonde e tinha ali muita irmandade bateram em vários Irmãos e o Irmão FELIPE PAVAN ficou na cama por três dias ai o Irmão LUIS veio o visitar e orou a DEUS por ele e DEUS o libertou passado quinze dias DEUS destruiu todos aqueles que tinham batido nos servos de DEUS esse grupo foi mandado pelo Padre FAUSTINO do convento do Ipiranga.

Isto tudo o que foi escrito, foi relatado pelo Irmão GERMILIO PAVAN e escrito pelo seu neto Irmão na Fé JOSÉ CARLOS PAVAN.



Obs.:  No relato acima foi mantido o texto original.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...